A Barqueira

um filme de Sabrina Blanco

75 min., 2019, Argentina/Brasil, DCP

sinopse

Tati tem 14 anos e vive com seu pai em uma casa humilde nas favelas do bairro ribeirinho de Isla Maciel, em Avellaneda, província de Buenos Aires. Ela é uma adolescente temperamental, rejeitada pelos colegas, que não se encaixa naquele ambiente. Tati sonha em se tornar uma barqueira – um trabalho quase extinto e sempre realizado por homens. Todos os dias ela tenta usar um barco, mas sem sucesso, até que descobre que um jovem barqueiro começou a trabalhar no cais. Ele se oferece para treiná-la. A jovem Tati, forçada a crescer sozinha em um ambiente hostil, conturbado e violento, aprende então a navegar pelo rio.

ficha técnica

Roteiro: Sabrina Blanco
Fotografia: Constanza Sandoval
Montagem: Valeria Racioppi
Som: Tiago Bello
Música: Rita Zart
Produção: Georgina Baisch e Cecilia Salim (Murillo Cine)
Coprodução: Jessica Luz (Besouro Filmes)
Elenco: Nicole Rivadero, Alan Gómez, Sergio Prina, Gabriela Saidon
Título original: La Botera
Classificação indicativa: 12 anos

sobre o diretor

Sabrina Blanco é diretora e roteirista, nasceu em Buenos Aires, Argetina, em 1986. Estudou direção cinematográfica na escola Cievyc, em Buenos Aires. A Barqueira é seu primeiro longa. O projeto do filme ganhou o Concurso de Desenvolvimentos de projetos Raymundo Gleyzer 2015, além de ter participado dos eventos como Nuevas Miradas EICTV 2015, Fundación Carolina, Lobo Lab 2016, Forum de Coprodução Festival de Guadalajara 2017, WIP (Work in Progress) Festival Internacional de Cine de Mar del Plata, Ganhador do WIP Festival de Nuevo Cine Latinoamericano La Habana (2018), e do Festival de Málaga (2019).

+ info

Notas do diretor
“A adolescência para as meninas é um momento de profunda transformação e fragilidade que nos expulsa constantemente para o desconhecido. Tati passa por essa fase da vida cheia de confusão e anseios, mas dentro de uma realidade complexa que muitas vezes a deixa à deriva.
A personagem já endurecida pelas próprias experiências de perda e desamparo encontra no desejo de ser um barco - uma obra de homem que apesar de estar à beira da extinção, resiste - uma forma de se agarrar, de
se manter de pé.
No filme, as águas podres do riacho funcionam
como um refúgiopara Tati.
Um lugar onde a ilusão de ter algo próprio se torna possível,
deixando os conflitos e a preguiça para trás para encontrar a própria força, a própria identidade. "

Os críticos disseram:

"Muito bom: um filme feito por e sobre mulheres, este filme de estreia ambientado na Ilha Maciel é dominado pela nobreza e pela sensibilidade."
Diego Batlle -  https://www.otroscines.com/nota?idnota=15185

«Um filme pequeno, realista e muito humano.»
Diego Lerer - Micropsia
https://www.micropsiacine.com/2019/11/festival-de-mar-del-plata-2019-criticas-de-la-competencia-argentina/

«Um filme que respeita o contexto de seus personagens mostrando-o com naturalidade, sem regozijo ou miséria, onde a influência de Rosetta, dos irmãos Dardenne, é evidente. "
Ezequiel Boetti- Página 12
https://www.pagina12.com.ar/230448-festival-de-cine-de-mar-del-plata-mujeres-fuera-de-los-corse

Felizmente, novas vozes como Sabrina Blanco e sua equipe estão ganhando mais espaço a cada dia. Vozes diferentes e talentosas, que não precisam se justificar mais do que a maioria das produções culturais já o faz. "
Javier Grinstein - Revista Caligari

«De todas as histórias existentes sobre classes marginalizadas, La Botara (2019) oferece um look maduro e inovador, sem muita facilidade ou clichês na hora de representar os desejos de seu protagonista. "
Emiliano Basile - Writing Cinema
https://www.escribiendocine.com/noticias/2019/11/10/5065-la-botera

"La Botera, uma história de sucesso sobre desejos e responsabilidade."
Santiago Balestra - Alta Peli
https://altapeli.com/critica/review-la-botera/

«Um primeiro filme lúcido e magnético com ideias claras desde uma perspectiva de gênero, com cinema de alta qualidade e com a descoberta de Nicole Rivadera, seu protagonista maravilhoso. "
Catalina Dlugi -
https://elportaldecatalina.com/2019/11/14/la-botera-un-viaje-de-crecimiento/

«La botera es una película de madurez que también permite ser interpretada como una fábula de superación y un testimonio sobre el abandono de las clases bajas por parte do Estado. Além disso, apresenta um diretor promissor para ficar de olho. "
Matías Orta - Um quarto completo

festivais

- 34º MAR DEL PLATA FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA: Competição Argentina
- Participou do WIP do 33º Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata
- Vencedor do WIP no Festival de Málaga
- Vencedor do WIP do Novo Festival de Cinema Latino-Americano de Havana
- Fórum de
coprodução do Festival Internacional de Guadalajara 2017 - Lobolab 2016
- Participou do Nuevas Miradas EICTV 2015
- Curso de desenvolvimento de projetos cinematográficos organizado pela Fundación Carolina com o apoio da Ibermedia
- Vencedor do concurso Raymundo Gleyzer Project Development Contest 2015

trailer

fotos

poster