Vic+Flo viram um urso

um filme de Denis Côté

95 min., 2013, Canadá, DCP

sinopse

Victoria acaba de deixar a prisão. Ela tem 61 anos e quer começar uma vida nova. Vai para a casa de um tio, já doente e inválido, em uma típica "cabane à Sucre" desativada no meio da floresta canadense. Vic espera viver ali com sua amante mais jovem Florence, sua ex-companheira de cela com quem dividiu anos de intimidade na prisão. Sob a supervisão atenta e sistemática de Guillaume, o jovem oficial de condicional, Vic quer fazer a coisa certa e ficar em paz. Mas o passado volta para assombrar Flo. Sinais de ameaça iminente começam a surgir e a floresta parece ter armadilhas traiçoeiras.

ficha técnica

Direção: Denis Côté
Elenco: Pierrette Robitaille, Romane Bohringer, Marc-André Grondin
Roteiro: Denis Côté
Produção: Stéphanie Morissette, Sylvain Corbeil
Diretor de Fotografia: Ian Lagarde
Edição: Nicolas Roy
Som: Frédéric Cloutier
Título Original: Vic+Flo Ont Vu Un Ours
Título em Inglês: Vic+Flo Saw A Bear
Duração: 95 min
Ano: 2013
Classificação indicativa: 14 anos

sobre o diretor

Denis Côté nasceu na província de New Brunswick, em 1973, e hoje vive e trabalha em Montreal (Canadá). Ex-crítico de cinema, produtor e cineasta independente, estudou cinema no Collège Ahuntsic, em Montreal, fundou a nihilproductions por volta de 1994 e realizou cerca de quinze curtas. Trabalhou como crítico de cinema em rádio de 1999 a 2005. Seu primeiro longa-metragem, Les États Nordiques (2005) recebeu o Leopardo de Ouro no Festival de Locarno. Com Elle veut le chaos (2008), Côté ganhou o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Locarno. Carcasses (2009), que foi concebido durante sua residência artística numa região do litoral sul de Montreal e estreou na Quinzena dos Diretores em Cannes. O trabalho seguinte, Curling (2010), recebeu prêmios de Melhor Diretor e Melhor Ator em Locarno e recebeu três indicações ao Prêmio Jutra, considerado o “Oscar” de Quebec. Bestiaire (2012), uma co-produção Canadá-França, lançada em Berlim na seção Fórum e em Sundance, foi listada pelo New York Times entre os “Melhores Filmes que Talvez Você Tenha Perdido em 2012.” Desde 2008, a obra de Côté tem sido objeto de várias retrospectivas realizadas em Montreal, Viena, Toronto, Ottawa, Seattle, São Petersburgo, Paris, Nova Iorque e Praga.

+ info

Disponível no Netflix, Google Play, NET NOW e GVT On Demand

filmografia

Longas: Les états nordiques (2005), Nos vies privées (2007), Elle veut le chaos (2008), Carcassesm (2009), Curling (2010), Bestiare (2012)
Curtas: Des tortues dans la pluie (1997), Mieux (1998), Old Fashion Waltz (2000), Seconde valse (2000), Kosovolove (2000), Rejoue-moi ce vieux mélodrame (2001), Les petits Cagney (2001), Rejoue-moi ce vieux mélodrame (2001), L'hypoténuse (2002), Mécanique de l’assassin (2002), La sphatte (2003), Les jouets (2005), Tennessee (2005), Maïté (2007), Les lignes ennemies (2010)

festivais

» Recebeu o Prêmio Alfred Bauer – Urso de Prata no Festival de Berlim 2013.
» Bafici (2013)
» Toronto International Film Festival (2013)
» Sitges International Fantastic Film Festival of Catalonia (2013)
» !f Istanbul International Independent Film Festival
» Festival Paris Cinèma (2013)
» 57th BFI London Film Festival
» Vancouver International Film Festival (2013)
» Melbourne International Film Festival (2013)
» Seattle International Film Festival (2013)
» Sydney Film Festival (2013)
» 48th Karlovy Vary
» CPH PIX (2013)

trailer

fotos

poster

pressbook

Baixar Pressbook (pdf)