Estação do Diabo

um filme de Lav Diaz

234 min., 2018, Filipinas, DCP

sinopse

No final dos anos 70, uma gangue de policiais controlada por militares aterroriza uma remota aldeia nas Filipinas. O terror infligido aos cidadãos não é apenas corporal, mas também altamente psicológico. As pessoas são constantemente alimentadas com histórias apócrifas sobre o líder da aldeia. Algumas almas lutam, recusando-se a desistir. O poeta, professor e ativista Hugo Haniway procura desesperadamente descobrir a verdade sobre o desaparecimento de sua esposa. Neste novo filme de Lav Diaz, narrativa e os personagens são uma combinação entre eventos reais e pessoas daquela época. Uma história de amor passada no período mais sombrio da história das Filipinas: a ditadura de Ferdinando Marcos. Uma ópera rock filipina com música e letras de Lav Diaz.

ficha técnica

Roteiro: Lav Diaz
Fotografia: Larry Manda
Montagem: Lav Diaz
Som: Corinne De San Jose
Música: Lav Diaz
Produção: Bianca Balbuena, Bradley Liew
Elenco: Piolo Pascual, Shaina Magdayao, Pinky Amador, Bituin Escalante, Hazel Orencio
 

sobre o diretor

Lav Diaz, nasceu em 30 de dezembro de 1958, nas Filipinas e foi criado em Cotabato, Mindanao. É diretor, escritor, produtor, editor, diretor de fotografia, poeta, compositor, designer de produção e ator. Estudou Cinema no Mowelfund Film Institute, nas Filipinas. Desde 1998, já dirigiu cerca de 17 longas de ficção, além de curtas e documentários, e conquistou os mais importantes prêmios internacionais. Em 2007, Death in the Land of Encantos recebeu na Mostra de Veneza, na seção Orizzonti, Menção Especial - Venice Horizons Award. No ano seguinte, Melancholia, na mesma seção Orizzonti, ganhou o Venice Horizons Award. Em 2013, Norte, fim da história foi exibido na mostra Un Certain Regard, do Festival de Cannes. Em 2014, Do que vem antes (From What is Before) ganhou o Leopardo de Ouro, no Festival de Locarno. Em 2016, A Lullaby to the Sorrowful Mystery foi agraciado com o Urso de Prata Alfred Bauer no Festival de Berlim. Em 2016, A mulher que se foirecebeu o Leão de Ouro na Mostra de Cinema de Veneza. 
 

+ info

Data de lançamento: 31 de janeiro de 2019

 

por Lav Diaz*
(diretor de Estação do diabo)

No último trimestre de 2016, começamos a preparar um ‘film noir’ para ser gravado no começo do ano seguinte. O grupo de produção estava pronto. Meu dever era criar um roteiro de trabalho para fins logísticos. Enquanto permanecia, todos os dias, preso na minha "sala de redação" num canto muito, muito frio (congelante) do mundo, fui envolvido pelos acontecimentos do meu país e do resto do mundo. O padrão era horripilante e ensurdecedor. Testemunhávamos um mundo enredado em cataclismos políticos, que deslizava irracionalmente para um abismo de barbárie – tanto os antigos quanto os novos líderes são filhos de Satã, Hitler, Marcos, Idi Amin, Stalin, Bin Laden e de um chimpanzé. Os norte-coreanos sofrem sob o domínio de um garoto obeso e cruel que tem um corte de cabelo engraçado. Em 7 de novembro de 2016, numa segunda-feira, meu amigo, o cineasta John Gianvito, me mandou uma mensagem dizendo que precisávamos beber um pouco de uma cerveja. Não era apenas "um pouco de cerveja," pois senti certa urgência e preocupação na mensagem. Naquela noite chuvosa e fria, as luzes da rua pareciam embaçadas e pesarosas, mas dentro do bar onde nos acomodamos, o clima geral era bastante comemorativo, pois, durante toda a semana, a mídia havia enfatizado, subliminarmente, uma iminente vitória de Clinton. John, porém, estava agitado e deprimido, e, após algumas garrafas de cerveja, disse o seguinte: “Há uma grande chance de Trump vencer amanhã. Fomos para o interior e fizemos algumas investigações. O que vimos foi assustador, muito, muito assustador. Acho que ele vai ganhar. ” Mais tarde, naquela noite, caminhando sozinho, por uma rua vazia, senti um pouco de medo. O medo me dominou.

Qual é a imagem do amanhã? Quando se queima a verdade, qual é a cor?

Fiz, é claro, algumas pesquisas/leituras para o filme noir e assisti alguns trabalhos. Então, comecei a escrever músicas; e as músicas simplesmente não paravam de chegar. Mandei um e-mail para a produtora dizendo que não iríamos fazer um filme noir (na verdade, implorei), mas, sim uma ópera rock. Quando ela perguntou sobre o que seria o filme, disse-lhe que seria sobre os chimpanzés que governam o mundo e os membros da maravilhosa Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, que estavam sofrendo da “das boot” síndrome após permanecerem presos num submarino amarelo por mil anos.

*Extraído do material de divulgação do filme

filmografia

2018 | Estação do diabo
2016 | A mulher que se foi
2016 |A Lullaby to the Sorrowful Mystery
2014 | Do que vem antes 
2013 | Norte, o fim da história 
2012 | Florentina Hubaldo, CTE 
2011 | Century of Birthing 
2011 | Elegy to the Visitor from the Revolution 
2008 | Melancholia
2007 | Death in the Land of Encantos
2006 | Heremias: Book One - The Legend of the Lizard Princess 
2004 | Evolution of a Filipino Family 
2002 | Hesus, Revolucionário
2001 | Batang West Side 
1999 | Nua sob a lua 
1999 | Burger Boys 
1998 | Serafin Geronimo: Criminal of Barrio Concepcion

festivais

Berlinale (2018)
Jerusalem Film Festival (2018)
FICUNAM (2018)
Moscow Film Festival (2018)
Hong Kong Film Festival (2018)

fotos